As confissões são anônimas, ninguém vai saber quem postou, se você quiser pode se identificar com um apelido. Você pode confessar uma história ou desejo pessoal, pode falar sobre fetiches e etc…

CONDIÇÕES e AVISOS PARA TER O POST APROVADO.

  • Nada ilegal, ou seja, sem estrupo, necrofilia, menor de idade… mesmo que seja uma história falsa.
  • A história tem que fazer sentido, sem muitos erros de português e tem que ter no mino 3 linhas.
  • Não coloque perguntas sem uma boa explicação, exemplo nada de: “Eu gosto de sexo anal e vocês?” Explica seus motivos, experiências e confesse seu amor, ninguém vai saber quem é você.
  • Envie uma imagem para ser a capa da postagem, se não enviar nada, escolheremos uma aleatória.
  • PARA MAIORES DE 18 ANOS!

Não tenha medo de falar sobre seus desejos ou fetiches, eu por exemplo confesso que adoro mulheres com nariz grande, elas são excitantes e me causam um sentimento diferente.

E você, o que quer confessar?
Título, nome e imagens são opcional, você pode deixar em branco!

Por favor, preencha os campos obrigatórios.
Imagens são opcional...

 

Ainda com duvidas? Comete aqui embaixo e vamos responder.

2 thoughts on “Envie uma confissão

  1. Estranha obcessão de um homem por outro homem
    Aguardava uma condução para a volta a minha cidade em um ponto de parada da rodovia. Outras pessoas também aguardavam ali, um ônibus passaria por ali para levar todos de volta a cidade próxima. Estranhei a proximidade de um homem que me olhou dos pés a cabeça, analisando e pensando. Não dei importância a princípio, julgando ser coisa costumeira por ali. Em alguns minutos, o ônibus surgiu, lotado. Todos teriam que ir em pé no interior deste ônibus. O número de pessoas que aguardavam sua chegada ali, eram muitas e acabei me juntando aos que ficariam em pé. Estranhei mais ainda quando o tal homem que me observara, agora veio até junto de mim e ficou nas proximidades. Alguns metros a frente, subiram mais pessoas e a aglomeração ficou difícil de ser evitada, mas, o tal homem ficou ainda mais próximo a mim. Agora, estava ele próximo às minhas costas. Pensei comigo “Fui observado e analisado, ele preferiu ficar atrás de mim!”. Por que ele preferiu ficar atrás de mim, com tantos espaços dentro do veículo? Mais alguns metros rodados, ele ficou grudado às minhas costas. De vez em quando, o veículo fazia uma curva e sentia o esbarrão em mim. Não dei importância a isso e fiquei indiferente. Até que senti um novo toque, agora algo duro tocava minha bunda. Não liguei e continuei olhando a janela, a minha frente. Após aquele toque, senti que ele continuava encostado em mim. Podia jurar que ele estava com o pau duro e encostado na minha bunda. Nos tempos de escola básica, em minha cidade natal, tive essa experiência. Mas, era eu rapazinho e quem me tocava era meu colega de escola. Era comum fazer “troca troca” naquela época e senti uma gostosa vontade de voltar no passado. Essa vontade me fez conferir o que era aquele duro membro, tocando em minha bunda. Levei a mão até aquele membro e constatei ser mesmo um pau duro que me tocava. Arrepiei a princípio, mas decidi deixar o tal homem a vontade, já que se sentira atraído por minha bunda. Ao tocá-lo, senti a respiração do tal homem no meu pescoço. Fiquei muito excitado. Alguém estava interessado em me possuir? Se assim fosse, então que viesse e me pedisse. Já estava decidido a deixá-lo à vontade comigo. Cederia meu cuzinho ainda virgem, a posse daquele pau tão quente e gostoso. O homem não decidiu do que começara ali e eu comecei a acariciar aquela ferramenta com carinho. O pau ficou ainda mais duro. Era verdadeira a intenção de meter aquela ferramenta quentinha em meu cuzinho! Sempre tive atração por pau duro de outro homem e aquele me pareceu muito conveniente. Ele ficava cada vez mais duro e gostoso. A respiração de seu dono também ficou mais forte. Comecei a movê-lo para frente e para trás. O homem gemeu um Ahhhhhh de prazer. Tudo estava correndo bem entre nós ali. Pensei tanta coisa gostosa em fazer pelo homem e seu pau delicioso até mesmo deixá-lo me possuir e enrabar-me. O pau começou a ficar mais grosso e espêsso. o homem estava prestes a gozar. Senti naquele momento que a outra mão trouxera um pano e me colocou nas mãos. Ele não queria gozar solto na minha bunda, sobre a calça. E foi o que aconteceu, logo ele gozou abundante e gemeu de prazer. Depois, cochichou no meu ouvido, “desculpe querido, sua bundinha me seduziu e eu quis encoxar você aqui mesmo. Um dia, a gente completa a nossa transa. Você topa?”. Balancei a cabeça dizendo que sim e ele beijou-me no pescoço, me deixando arrepiado. Não vi seu rosto e ele também não viu o meu, mas ficou a promessa de “completar” aquele início numa outra ocasião. Depois disso, desapareceu rapidamente dentro do ônibus e não pude identificá-lo. E foi tão bom que estou aguardando até hoje seu reaparecimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

The maximum upload file size: 1 MB. You can upload: image. Drop file here